Por uma outra comunicação - apresentação



Apresentação - Págs 9, 10, 11


  • O livro é um esforço coletivo de analisar o raio de alcance das reconfigurações dos meios e modos de produção, difusão, recepção e intercâmbio de dados, idéias, sons e imagens, numa época de aceleração tecnológica, de convergência digital e de mercantilização generalizada de bens materiais e imateriais. 
  • Tese - A mídia desempenha função estratégica primordial enquanto máquina produtiva que legitima ideologicamente a globalização capitalista.
  • (Argumento1) Por deter a capacidade de interconectar o planeta em tempo real, os dispositivos de comunicação concatenam, simbolicamente, as partes das totalidades, procurando unificá-la em torno de crenças, valores, estilos de vida e padrões de consumo quase sempre alinhados com a razão competitiva dos mercados globalizados. 
  • (Conclusão do Argumento1) E assim atuam apresentado-se como espaços abertos à reverberação da vontade geral - na verdade, um hábil artifício retórico para dissimular vínculos orgânicos com a lógica do capital.
  • (Argumento2) há uma confluência de variantes mercadológicas e tecnológicas nas mediações efetivadas pelos titãs da mídia, em seu intuito de organizar e convalidar os discursos da vida da produção. Tudo isso em uma moldura de assimetrias e desigualdades entre o círculo de países ricos e a extensa periferia de nações submetidas às políticas excludentes do neoliberalismo. Políticas que favorecem em larga medida a transnacionalização das indústrias culturais, a concentração patrimonial e a primazia do lucro, ao mesmo tempo que enfraquecem identidades, laços comunitários e direitos sociais.
  • (Argumento3) O mundo em rede enfeixa contradições, situações articuladas e possibilidades de transformações até então imprevistas. Inclusive aquelas relacionadas à virtualização de conhecimentos, às sociabilidades cooperativas e à meta de democratização da esfera pública. Daí a nossa opção de também lançar luzes sobre novos ambientes, práticas e vertentes comunicacionais tendencialmente propícias à disseminação de ideias participativas e aspirações solidárias.
  • (Argumento4) incluir, no exame da complexidade atual, o mosaico em gestação de resistências às dominações ideológico-culturais, no longo e por certo tortuoso percurso para a reversão de hegemonias constituídas. (lutas antineoliberais).
  • (Intervenção1) O horizonte para um outro mundo possível não poderá abrir mão de políticas públicas democráticas para os serviços e espaços de comunicação, dentro de uma visão necessariamente supranacionais, coordenada e convergente. 
  • (Intervenção2) Difícil imaginar a universalização da cidadania no quadro de dramática oligopolização dos setores multimídias. 
  • (Intervenção3) Resgatar a diversidade é fundamental para a coexistência dos povos, das nações e das culturas.
  • (Intervenção4) Precisamos com urgência viabilizar um realinhamento equilibrado e estável dos sistemas globais de informação e entretenimento. Realinhamento que respeite peculiaridades regionais e afinidades eletivas, e não desconheça as mutações da era digital, mas que coíba monopólios, permita a descentralização da produção simbólica e assegure o bem supremo do pluralismo. 

Postagens mais visitadas deste blog

#todoscontraPEC241

Avaliação: O acontecimento da Greve Geral