Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2018

SUPORTAR O OUTRO, ATÉ QUE PONTO?

Imagem
O convívio com o outro na internet permite debates que podem ser positivos ou negativos, a partir de ideias comuns e/ou conhecimento de culturas diferentes, mas muitas experiências tornam-se negativas por conta de discursos de ódio, que contribuem para a prática da intolerância. Será possível impedir que as diferenças étnicas, religiosas, linguísticas, culturais etc., que existem nas sociedades democráticas, despedaçadas pela diversidade, não caminhem no sentido da oposição, da negação recíproca e, em algumas vezes, da luta até a morte? Esse é um dilema social difícil, por exemplo, quanto ao fato de se pensar em restringir as liberdades básicas de expressão e de comunicação. Afinal, pode-se permitir que se diga qualquer coisa em qualquer lugar? Pode-se ofender e ser racista ou neonazista sem que o outro se pergunte: devo tolerar este intolerante? Diante disso, torna-se premente provocar uma reflexão acerca de até onde uma prática social é tolerável, ou, inversamente, a partir de qual li…

Entrevista com o pesquisador de primeira linha Dr. José Luiz Braga: Dispositivos interacionais; redes sociais; gradientes comunicacionais

Imagem
Prof. Dr. José Luiz Braga, professor titular e pesquisador no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Unisinos (RS) e autor de muitos livros do campo da comunicação.

Entrevista com Muniz Sodré no II Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Socias

Imagem
Muniz Sodré de Araújo Cabral É um pesquisador brasileiro e latino-americano no campo dacomunicação e do jornalismo. Dirigiu a TV Educativa. Publicou quase uma centena de livros e artigos, na área da comunicação (jornalismo em especial), mas também livros de ficção e um romance (O bicho que chegou a feira). Algumas obras tornaram-no mais conhecido, como Monopólio da Fala (sobre o discurso da televisão) e Comunicação do Grotesco (sobre programas de TV que exploram escândalos e aberrações). Um dos poucos teóricos brasileiros na área de comunicação que têm circulação e respeitabilidade no exterior, sendo professor e palestrante de diversas instituições em países como Suécia, França, Estados Unidos, Espanha, Portugal, Colombia, Bolivia, Uruguai, Peru dentre outros. Nesta entrevista ele fala acerca de comunicação, afeto e razão e ao final faz uma análise da conjuntura midiática  do Brasil.

II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PESQUISA E MIDIATIZAÇÃO E PROCESSOS SOCIAIS

Imagem
Entrevista com o professor Antonio Fausto Neto Doutor em Comunicação, com Pós-Doutorado em Comunicação.
Áreas de interesse: Jornalismo, Discurso, Noticiabilidade, Estratégias Midiáticas, Midiatização. Linha de Pesquisa: Inteligência Artificial . Entrevistadora: Elizabeth Venâncio