Postagens

O perito Ricardo Molina X Michel Temer

Imagem
Na última Segunda-feira (22) o perito Ricardo Molina contratado pela defesa do Presidente Michel Temer para verificar a gravação em que o empresário Joesley Batista, da JBS e o peemedebista tiveram um diálogo, no dia 7 de março, afirmou que a gravação é “imprestável”. Para nós, míseros cidadãos, resta questionar: Não haveria outro perito no Brasil capaz de defender o nosso presidente?
Vale lembrar que Molina esteve envolvido em muitas situações ETICAMENTE questionáveis, apesar das suas conclusões validadas por um doutorado. Muitas críticas foram feitas, inclusive por professores universitários da Unicamp, onde Molina atua.Ficou famoso o seu laudo da morte de PC Farias e sua namorada ea agressão ao candidato à presidência José Serra, supostamente por militantes do PT (Partido dos Trabalhadores), em confusão durante uma passeata na cidade de Rio de Janeiro na campanha eleitoral do segundo turno. Após sua análise de filmagens do evento, a pedido da TV Globo, declarou que outro objeto &quo…

POESIA - Risos da continuidade... Hábitos de vermes

Imagem
Sou da cidade de Goiânia, mas poderia ser de qualquer parte do mundo, nenhuma diferença, quando se trata de ouvir piadas contra: Negro Mulher Gay Etc.
Tantas piadas a nos lembrar que somos: Racistas Homofóbicos Violentos
Tantas piadas a fazer rir Nenhuma para refletir: que relações destorcidas são essas? Risos da continuidade... Hábitos de vermes 
Elizabeth Venâncio Autora

A racionalidade humana nos tornam idiotas imponderáveis

Imagem
A rua parecia diferente, cores azuladas cintilando. A calçada molhada e o irritante caminhar das mulheres em seus saltos altos. Eugênio nunca apreciou o som  dos saltos. Mas, no fundo gostava da altivez que o salto proporcionava, era bonito de se vê, a forma doce como as pernas se alongam, suspirou.     A noite já ia longe, porém não sentia vontade de ir para casa. Seus pensamentos se tornaram compulsivos, se repetindo como o bater do relógio:  tic TAC tic TAC tic TAC tic TAC tic TAC tic TAC tic TAC, até que de repente só restasse o desespero.     A cidade inteira o recriminava. Estava nos jornais, na televisão, no rádio, nos comentários de internet... a palavra para descrevê-lo era intolerante. Um juiz intolerante. Pensou com ironia e uma certa amargura “eu represento o Estado, sou um agente político, logo a minha decisão é de todos. Todos são intolerantes".     Tinha consciência que um pensamento não se forma por si só. Se  foi capaz de pensar, então os elementos de seu pensa…

Avaliação: O acontecimento da Greve Geral

Imagem
By Elizabeth Venâncio    O acontecimento da Greve Geral nesta última sexta-feira (28) repercutiu internacionalmente, por meio do jornal El país. Os analistas, produtores de sentidos, correram para avaliar. Tarefa difícil quando realizada com ética, pois envolve uma disputa de significados, uma rede de interesses, um intercruzar incorpóreo e sútil de coisas. Entretanto, para alguns a avaliação já estava pronta, tal qual um obituário de pessoa famosa, bastando colocar a data da morte. O sentido do mundo não está nele. É algo produzido a cada momento em que se entra em contato com as coisas. Tanto as coisas, quanto quem as apreende estão em eterna transformação, logo não existe algo contínuo, imutável, duradouro nas relações entre humanos. Pode-se dizer que somos nós que damos sentidos ao mundo e apesar de tentarmos utilizar padrões comportamentais, matemáticos ou linguísticos para explicar um evento, isto não é possível, pois nenhum fenômeno produzido pelo ser humano é previsível, noss…

Elizabeth Venâncio entrevista Ciro Marcondes Filho - Goiânia 28/11/2016

Imagem

Seminário: Será que você sabe o que é comunicação?

Imagem

Não há comunicação sem troca

Não há comunicação sem troca, mas o entendimento da palavra “troca” é de compartilhamento, fazer parte de algo com alguém, em outras palavras não é necessariamente a forma binária de reciprocidade, mas sim, uma reciprocidade reticular. Essa ideia encontra respaldo nas pesquisas de Lévi-Strauss referente à casamento entre tribos:
"Tal forma geral de reciprocidade tinha permanecido oculta, porque os parceiros não dão uns aos outros (e não recebem uns dos outros): não se recebe daquele a quem se dá e não se dá àquele de quem se recebe. Cada qual dá a um parceiro e recebe de outro, no interior de um ciclo de reciprocidade que opera num único sentido, a convivência, o vínculo estabelecido. (1978, p. 72)

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia Estrutural. (trad. Chaim Samuel Katz e Eginardo Pires). Rio de Janeiro: Tempo Brasil ejrk. 1978