quinta-feira, 27 de outubro de 2011


Vou seguir os passos da minha amiga Regina em uma deliciosa brincadeira  ‘lista bombardeável’, que está envolvendo uma turma legal de blogueir@s e blogueiros. proposta pela escritora Carla Ceres, autora do blog ‘Algo além dos Livros’ http://carlaceres.blogspot.com/.

Devo apresentar uma lista com 10 coisas de que não gosto e, conforme a regra, escolher 10 amigos para fazer o mesmo. Escolho pessoas que gosto de ler, apesar de não conhecê-las pessoalmente.


Vamos brincar?

Ivone poemas http://henristo.blogspot.com/

Célia http://celiarangel.blogspot.com/

MFC http://pedemeias.blogspot.com/

Jair Clopes http://jairclopes.blogspot.com/

Chica http://cuidandonossocanteirointerior.blogspot.com/

Ludugero http://ludugero.blogspot.com/

Contraponto http://subjetobjeto.blogspot.com/

Sandra Puff http://sapatinhosdadorothy.blogspot.com/

Paulo Estevam http://pontesferreiraarts.blogspot.com/

Ani http://cristalssp.blogspot.com/



NÃO GOSTO...
1. Que as pessoas que eu amo morram

 
2. Não saber dizer as palavras certas, nas horas certas

 
3. Que a juventude seja tão breve

 
4. Não ter resposta para as questões humanas

 
5. Saber pouco

 
6. Engordar

 
7. Não ter dinheiro para viajar
Lugares para viajar no fim do ano
 
8. Não ser uma excelente escritora
 
(Cora Coralina)
 
9. Morrer antes dos  300 anos


10. Não ter tempo para ler bons livros

 

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

SOMOS TODOS ESPÍRITAS!!




Duas pessoas caminham lado a lado.
- Carla é espírita?
- Não sei, pensava que era católica.
- Católicos são espíritas.
- Como?
- Não adoram santos? Os santos não estão mortos? Acreditam que alguém que está morto pode ajudá-los, então são espíritas.
- É verdade... bem se é assim, então os evangélicos também são espíritas.
- Por quê?
- Jesus morreu. Os cristãos acreditam num morto. Todo morto não é espírito?  
- Ressuscitar é diferente!!
- Não vejo onde, a bíblia prova isso, em Lucas 24: 46 – “... convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dos mortos.”
- Ele não reencarnou em outro corpo, ele ressuscitou no seu próprio corpo.
- Tanto faz. Morreu e voltou. Não importa o nome que se dê. Lembre-se do que disse Lucas 20:37, “Mas que os mortos hão de ressurgir, o próprio Moisés o mostrou, na passagem a respeito da sarça quando chama ao Senhor; Deus de Abraão, e Deus de Isaque, e Deus de Jacó”. E continua 20:38 “Ora, ele não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele todos vivem.” Se para Deus não existe o estado da morte, então, para qualquer espírito o fato dele  habitar um corpo ou não é a mesma coisa, logo somos todos espíritas.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Faceira e orgulhosa



Joana zelosa.
Toda prosa.
Um pouco preguiçosa.
Aprendendo que a vida brota...
Em lágrimas, gargalhadas, suspiros...
Joana prosa
Toda zelosa
Faceira e orgulhosa
Um pouco preguiçosa
Aprendendo que nem sempre é possível deter...
O tempo, o pensamento, o sentimento...
Joana, faceira e orgulhosa

domingo, 9 de outubro de 2011

Aprendendo a dizer não


Por muitas vezes, nós fazemos coisas, aborrecidos por dentro. Agimos  como se não houvesse alternativa.
Amanda, de 6 anos, ficou triste, porque sua mãe entregou-lhe um saco de balinha dizendo:
- Divida com seus colegas!
Ela o fez, contudo retornou com a carinha triste, tão própria dos condenados.
- O que foi? Perguntou a mãe.
- Não sobrou nenhuma balinha, eles pegaram tudo.
- Ora filha, você deveria ter separado as suas e depois dividido.
- A senhora disse que não era para eu desobedecer.
A mãe ficou pensativa. Realmente, ensinou sua filha a obedecer sem questionar, não só ela, mas qualquer adulto (autoridade). Mesmo que Amanda estivesse certa, deveria obedecer.
A mãe pensou que, Amanda acabaria por se torna uma adulta cúmplice das maiores perversidades sociais. Afinal foi treinada a obedecer a qualquer autoridade. Pensou na mulher que apanha calada, para não desobedecer ao marido (que lembra o pai repressor). O trabalhador que baixa a cabeça diante do patrão, que não lhe paga seus direitos. O assessor que calado observa, enquanto o político corrupto rouba e dilapida as riquezas do país. São tantos exemplos, contudo o que realmente importa é que, a mãe de Amanda percebeu a grande mazela de obedecer sem questionar.

sábado, 1 de outubro de 2011

A lógica da percepção

Um arco-íris em torno do sol pode ser visto por bolivianos, em La Paz Foto: EFE
Ontem, 30/09/2011 (sexta-feira), várias pessoas, em Goiânia-GO, olhavam para o céu, como crianças espantadas e felizes. Comentavam umas com as outras, parecendo velhos conhecidos. Eu, como um animal curioso que sou, olhei o céu. Lá estava um sol magnífico, como eu jamais havia visto, tinha um anel em sua volta. Fiquei petrificada, relembrando as muitas imagens de destruição do planeta dos filmes hollywoodianos, aqueles, que tanto prazer me deram. Queria andar, mas meus pés recusaram, minha boca secou e aguardei por alguns minutos, que uma bola de fogo me consumisse. Nada aconteceu. Voltei para casa e liguei a televisão, pois ela sim, sabe de muita coisa.
O noticiário relatava um fenômeno gerado por causa da reflexão da luz solar no céu em dias de alta nebulosidade no céu, formando uma espécie de arco-íris em torno do sol, mas isso não me convenceu. Então fui para o oráculo GOOGLE, que tudo sabe e tudo vê e ele disse “O círculo de arco-íris é chamado Halo Solar um fenômeno óptico que ocorre na troposfera superior, onde as nuvens chegam nesta região, formando cristais de gelo que, com a luz solar é refletida e refratada, dividindo em cores por causa da dispersão, gerando este "círculo de arco-íris".
Minha razão quer acreditar nas explicações cientificas, mas a lógica da percepção fazia perguntas – Porque você tem quarenta anos e este fenômeno só aconteceu agora? Porque ele ocorreu numa sexta-feira? Ora, sabemos que os povos pagãos antigos reverenciavam seus deuses dedicando a sexta-feira ao astro Vênus (deusa do Amor e da Beleza) e desde que o homem começou a se comunicar o sol representa a luz divina. Meu coração ficou em paz, pois um arco-íris no sol em uma sexta-feira só deve significar coisas boas. Uma boa nova, quem sabe um novo despertar da consciência humana para as coisas que realmente tem importância, como o cuidado com os outros, a honestidade, a sinceridade, o respeito por toda manifestação de vida... Bom, cada um dá aos acontecimentos a versão que lhe convém.