Chega de tantos larápios administrando este torrão


Que o governo se importe,
com ética, decência e corrupção, do resto cuida o cidadão.
Chega de tantos larápios administrando este torrão.
Não tinham nem condição de pregar um botão.
Logo, logo a palpitar sem entender da profissão!
Do alto da razão, do seu quinhão, cada um sabe atentar.

Quando o Brasil surgiu,
 aos olhos de Portugal,
havia  na terra, riqueza,  índio e vastidão.
Nasceu aqui, uma assombrosa degradação.
Açucar, ouro e escravidão, nada prá nossa nação.
Era tudo muito simples,
Pois, só havia opressão.

No passado nem no presente
O povo não tinha perdão
Mas essa vida de fadiga
Precisa ter solução.
                                                                                     (Elizabeth Venâncio)



Postagens mais visitadas deste blog

#todoscontraPEC241

POESIA: Minha mãe

Avaliação: O acontecimento da Greve Geral