Redefiniremos o humano

Plaina o espírito de insanidade,
nos manuscritos da evolução humana.
Sem política os paleolíticos,
jaziam sem criticar.
No período Medieval, bestial nobreza e severo clero.
Espíritos famintos agonizaram.
Oceano de história, troianos, romanos, americanos...
Fratricidas.
Vidas retorcidas.
Resignação?
Inclinação, never again!
Habitamos a reorganização,
confirmação da implantação do novo.
Gritos, frêmitos, ritos de libertação.
As vozes se multiplicam.
Erudito, somos nós!
Inédito a falta de mito.
Olhamos o mundo on-line.
Não mais serranos,
Hoje, redefiniremos o humano.

Postagens mais visitadas deste blog

#todoscontraPEC241

POESIA: Minha mãe

Avaliação: O acontecimento da Greve Geral