O problema é a forma que pensamos!


Bianca rememorou tudo que havia ouvido naquele dia. As palavras grosseiras, os gestos de ódio. Não entendia porque as aparências mexiam tanto com as pessoas. Ela ainda era a mesma menina que andava de bicicleta, mas bastou colocar um batom vermelho, um shortinho curto, salto alto e uma bolsa roubada de sua mãe, não precisou dizer palavras, para que os homens a devorassem com os olhos, como se pudessem despi-la de uma forma brutal e rude.  Sentia o rosto arder ao reviver as obscenidades que ouviu. Porém nenhuma dor foi maior do que quando sua mãe disse “Se você anda na rua como uma prostituta, quem vai te respeitar. Se você for violentada, o estuprador terá todo o direito, afinal você está procurando”. Bianca pensa “eu não sou só uma roupa, eu tenho sentimentos, tenho princípios.” Não entende porque na televisão tem tanta gente vestindo assim. Porque nos outdoors tem tanta foto de mulheres mostrando tudo, revistas, jornais, tudo é só mulher seminua! Até prá vender pasta de dente. Agora me dizem que assim elas podem ser violentadas. Será que elas querem ser violentadas e se vestem assim? Talvez elas já estejam sendo violentadas!! Pensou com horror Bianca. Mas afinal o que são os homens? Feras incapazes de conter seus desejos? Bianca acredita que sua mãe pensa que sim, mas ela já estudou os índios e sabe que mesmo despido ninguém agarra ninguém a força. Então de onde virá este comportamento? Bianca pensou por horas e de repente sentiu que sabia a resposta – “O problema é a forma que pensamos, não é minha roupa que está errada, é o pensamento do conjunto de todas as pessoas, que  vão reproduzindo coisas, sem perceber.” Bianca sorriu, subiu em sua bicicleta e foi para casa.

Essa é a minha participação na 19ª edição sentidos do Projeto Suas Palavras com o mote: O problema é a forma que pensamos

Postagens mais visitadas deste blog

#todoscontraPEC241

POESIA: Minha mãe

Avaliação: O acontecimento da Greve Geral