O QUÊ FOI?



- O quê foi? – falou Maria.
- Não sei. Tudo é severo, inexplicável.
- Por que está em meu quarto?   
- Estou em todos os lugares com você.
- É sempre assim, sem lucidez.
- Ora, não reconhece meu olhar de repreensão.
- É tão difícil agradá-la.
- Por que conheço seus sonhos de infância,  os mais longínquos.
- Qual o problema?
- O tempo se esgota.   
- O quê quer?
- Responda você! Eu sou apenas um reflexo no espelho. 

Postagens mais visitadas deste blog

Paradigma Funcionalista Pragmático - Escola de Chicago

Entrevista com Muniz Sodré no II Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Socias