COTIDIANO

Acordar às 6 horas.

Tomar café...

Tecendo diferenças no sonho do igual. 

Se tudo está em oscilação, por que sinto a constância eterna?

Nenhum lápis laranja é o mesmo.

Inimaginável será então o azul do céu?

Insonhável a dupla percepção.

Perseguida, acuada,  intimidada, durante  toda a existência. Perceber ou não?

Insustentável imperfeição.

Nenhum lápis laranja é o mesmo. 

 Imperceptíveis aos olhos.

Todos os lápis são iguais. Ilusão da alma.

... Ufa! que tantas palavras com “I”.




Postagens mais visitadas deste blog

POESIA: Minha mãe

Avaliação: O acontecimento da Greve Geral

Os sentidos da qualificação de mestrado