Pés

Tenho compaixão por pés femininos, que andam titubiantes em seus saltos enormes e calcanhares esfolados. Sinto dores antigas, onde a percepção da beleza subjulgava a alma. Em troca de um olhar admirado, um sorriso maroto, nenhum sofrimento foi negado. Hoje, vejo os mesmos olhos acompanhando o bailar dos quadris, mas como expectadora de uma cena alheia, posso dizer que o andar é mesmo engraçado.

Postagens mais visitadas deste blog

Paradigma Funcionalista Pragmático - Escola de Chicago

Entrevista com Muniz Sodré no II Seminário Internacional de Pesquisas em Midiatização e Processos Socias